ARU – Braga Sul

Delimitação da ARU:

Esta área foi aprovada por Deliberação da Assembleia Municipal de 07/10/2016 relativa à alteração da ARU de Braga Sul e delimitação das ARU Braga Norte e Braga Nascente, publicada em Edital N.° ED/41/2017 de 13/02/2017 e em Diário da República, 2.ª série, N.º 44 de 2 de março de 2017, sob o Aviso n.º 2216/2017 – “Delimitação de Áreas de Reabilitação Urbana”.

Documentos disponíveis através dos seguintes atalhos:
Edital
Aviso

 

ÁREA DE REABILITAÇÃO URBANA DE BRAGA SUL: UMA “PONTE” COM O FUTURO

A estratégia traçada no âmbito da ARU de Braga Sul e respetiva redefinição dos seus limites, estruturada no presente documento, surge de uma nova visão para a reabilitação urbana do município de Braga, que procura articular a ARU do Centro Histórico (consubstanciada no PERU do Centro Histórico, publicado no Diário da República, 2ª série, aviso n.º 259/2012,de 9 de Janeiro) com as áreas de expansão da cidade, também alvo de delimitação de ARU (Braga Norte, Braga Nascente e Braga Sul). Através de projetos estruturantes nestas novas áreas, procurar-se-á promover a regeneração urbana, como também alargar a dinâmica privada da reabilitação urbana a toda a malha consolidada da cidade.

Pressupostos específicos a ter em conta na apresentação da proposta de alteração da ARU de Braga Sul, concretamente:

  • A necessidade de regenerar o eixo da Avenida, a relação entre o Parque da Ponte, o PEB, o Estádio e o Monte do Picoto, o Centro Histórico de Braga e as áreas adjacentes, compostas pelos Centros Comerciais de 2ª geração.
  • Abranger o conjunto de bairros de matriz social, de épocas, volumetrias, tipologias e estado de conservação distintos, mas que necessitam de melhorias ao nível das condições de habitabilidade e de inserção urbana (Bairro Social de Santa Tecla, Complexo Habitacional do Picoto, Bairro Social Ponte dos Falcões, Bairro Nogueira da Silva, Bairro da Imaculada Conceição, Bairro Duarte Pacheco);
  • Englobar loteamentos e urbanizações de iniciativa privada, das décadas de 70-90 do século XX, com défice de qualificação e integração ao nível do espaço público e ambiente urbano (urbanizações e loteamentos do Fujacal, do Carandá, da Quinta de Sotto Mayor, da Quinta de Santa Tecla, da Quinta da Capela, Quinta de Santo Adrião, da Fumbral, entre outras);
  • Assegurar a união entre os limites da ARU do Centro Histórico e a nova ARU de Braga Sul, não excluindo nenhuma área urbana adjacente à primeira, possibilitando a qualificação e melhoria das articulações entre as várias áreas (Av. da Liberdade, 31 Janeiro, Rua Monsenhor Airosa/Rua do Couteiro…);
  • Abarcar edifícios industriais devolutos em presença na área Sul da cidade (antiga fábrica Fumbral, antiga fábrica Sarotos, entre outros);

Abarcar todo o complexo industrial e empresarial de Ferreiros, com perspetiva de crescimento (alavancado pelo investimento previsto pela BOSCH para 2018).

 

ORU – Braga Sul

ORU a ser publicada dentro de 3 anos após publicação da ARU, cumprindo os seguintes objetivos:

Em função dos pressupostos de base subjacentes à proposta de alteração da ARU de Braga Sul apresentados e em consonância com as orientações estratégicas de desenvolvimento urbano plasmadas nos diversos instrumentos de planeamento e gestão territorial, fixaram-se para este território objetivos específicos que constituem um compromisso a prosseguir:

A. Aumentar o nível de articulação urbana entre os três subsistemas existentes na área: estruturas ecológicas e ambientais; equipamentos coletivos e áreas residenciais;

B. Qualificar e melhorar a acessibilidade e fruição das estruturas ecológicas presentes na zona, potenciando também a sua relação com as áreas urbanas contíguas consolidadas;

C. Melhorar o nível de qualidade dos arruamentos urbanos, adequando-os aos seus usos diferenciados e consolidando seja os percursos internos, seja os de penetração na área;

D. Revitalizar e dinamizar a utilização do sistema de equipamentos coletivos, beneficiando do efeito de atratividade atual de alguns desses equipamentos;

E. Promover uma intervenção seletiva e sistemática de qualificação ou revitalização das frentes urbanas que impactem de forma mais significativa as estruturas ecológicas e o sistema de equipamentos coletivos, contribuindo para atrair novas atividades económicas urbanas;

F. Valorizar e dinamizar os ativos culturais e simbólicos que configuram o interesse patrimonial do Sítio dos Galos;

G. Aumentar a inserção urbana e social dos conjuntos habitacionais no setor sul da área, nomeadamente reforçando as condições de habitabilidade e a qualidade do espaço público intersticial;

H. Incentivar a reabilitação e refuncionalização de grandes unidades industriais abandonadas, com capacidade para induzirem uma dinâmica local de reabilitação urbana;

I. Promover a reabilitação de conjuntos edificados favorecendo, designadamente, a dinamização do mercado de arrendamento habitacional na cidade.

J. Promover a regeneração urbana da Avenida da Liberdade potenciando a relação entre o Centro Histórico e o Parque da Ponte, Monte do Picoto e Parque de Exposições de Braga.