Enquadramento

Desafios centrais para o PEDUS:

  • A compatibilização de dinâmicas distintas, nem sempre ajustadas entre si ou com o tecido social e urbano, resultantes da intensificação da procura por visitantes e turistas e das atividades de lazer urbano, incluindo a animação noturna, que se confrontam com a manutenção de atividades (sobretudo comerciais) tradicionais e diferenciadoras, embora modernizadas, com a proteção e valorização do património histórico e com a qualidade residencial e do ambiente urbano.
  • A transformação do modelo residencial no centro da cidade, adaptando os edifícios, os alojamentos e o sistema de mobilidade aos novos padrões de procura (famílias menos numerosas e mais jovens, idosos residentes, estudantes, profissionais qualificados) sem gerar fenómenos de gentrificação nas camadas da população de menores recursos – incluindo as comunidades residentes em bairros sociais.
  • A inversão da tendência de crescimento do automóvel como meio de transporte preferencial, o que implica uma mudança na política municipal de anos recentes ao nível da gestão de tráfego e estacionamento e o estímulo à utilização de modos suaves e da qualidade do sistema de transporte coletivo, dentro da cidade e nas ligações com o exterior.
  • A afirmação da cidade enquanto ativo muito relevante do modelo de competitividade e desenvolvimento económico regional, reforçando a sua centralidade, tal como preconizado pelo Plano Estratégico de Desenvolvimento Económico de Braga 2014-2026.

Embora assumindo uma ambição proporcionada aos seus meios (financeiros e domínios de intervenção), o PEDU encara estes desafios e adota uma linha estratégica corporizada em projetos que se pretendem exemplares e de forte efeito de alavancagem.