Novo Mercado Municipal apresentado aos comerciantes

Novo Mercado Municipal apresentado aos comerciantes
04/01/2017

Mais seguro e confortável, com melhores infra-estruturas técnicas e logísticas adequadas às novas exigências, funcional, atractivo e com novas valências. Assim será o novo Mercado Municipal de Braga, cujo projecto foi apresentado hoje, 4 de Janeiro, pelo presidente da Câmara Municipal, Ricardo Rio, aos comerciantes que desenvolvem a sua actividade naquele equipamento.

Neste encontro, o Autarca deu a conhecer as linhas gerais do projecto que visa dar melhores condições de trabalho a todos os comerciantes e torná-lo cada vez mais atractivo para os Bracarenses e para os visitantes.
O concurso público para a requalificação daquele equipamento - cujo projecto resultou de um concurso de ideias e foi, posteriormente, trabalhado pelos serviços técnicos da Autarquia - deverá ser lançado no próximo mês de Fevereiro. Segundo Ricardo Rio, estima-se que as obras, orçadas em cerca de quatro milhões de euros e integradas no novo quadro de apoio comunitário, arranquem no mês de Julho, prolongando-se pelo prazo de um ano.
“Queremos criar um mercado de referência na região, onde os sectores tradicionais se misturem com a realização de iniciativas de carácter social, cultural e económico”, afirmou Ricardo Rio, lembrando que este é “um investimento estratégico para a regeneração urbana da Cidade”.
Aos comerciantes, o Edil explicou que não será possível conciliar as obras com o funcionamento do mercado, pelo que estão a ser estudadas alternativas. “Em cima da mesa estão neste momento duas localizações: a Praça do Pópulo e o Campo das Hortas. Mas esta é uma questão que será abordada individualmente com cada comerciante. Tudo será possível discutir, caso a caso, sendo que no período em que decorrerem as obras, os comerciantes ficarão isentos de qualquer pagamento à Câmara Municipal”, frisou Ricardo Rio.

Já para o vereador Miguel Bandeira, a par da valorização patrimonial, a intervenção no mercado “vai potenciar a reabilitação dos edifícios envolventes, fomentar a dinâmica comercial e revitalizar a actividade agrícola e pecuária no Concelho”. Miguel Bandeira destacou ainda o facto do ‘novo’ mercado ser totalmente inclusivo. “Hoje fazemos projectos para todos e este garante a acessibilidade total para pessoas com mobilidade condicionada e procura responder às principais incapacidades que possam surgir”, sustentou.

Espaço com novas valências

O ‘novo’ Mercado vai continuar a servir o propósito para o qual foi concebido, actualizando-o de forma a responder às exigências de segurança, higiene e saúde em vigor, quer a dinâmicas de negócio actuais, sendo por este motivo acrescidas algumas valências até agora inexistentes no local.
A nível de organização do espaço e distribuição de usos, a Praça será totalmente coberta e compreenderá toda a área comercial acessível ao público. A ala Nascente dedicar-se-á ao novo uso de restauração e comércio de produtos gourmet, enquanto a ala Sul continuará a ter o seu piso 0 dedicado aos talhos, passando o piso inferior a usar-se para fins logísticos de cargas e descargas e sendo criado um piso superior com quatro salas polivalentes.
A ala Poente manterá o seu uso de talho no piso 0 e peixaria no piso inferior, reorganizando-se com o mínimo de alterações possível o restante piso inferior e criando-se um túnel de acesso à praça para cargas e descargas.

 Município de Braga, 4 de Janeiro de 2017