Braga e Guimarães lançam programa pioneiro para promoção e qualificação do Monte da Falperra

Braga e Guimarães lançam programa pioneiro para promoção e qualificação do Monte da Falperra
25/01/2017

Sob o mote “Dois territórios e uma paisagem”, os Municípios de Braga e Guimarães apresentaram hoje, 25 de Janeiro, o Programa Intermunicipal de Salvaguarda da Paisagem dos Sacro Montes. Trata-se de um projecto pioneiro a nível nacional que representa a união das duas Autarquias na concertação de acções que visam a promoção e qualificação do Monte da Falperra.

Abrangendo uma área florestal de 2.500 hectares e cinco imóveis de valor patrimonial incalculável, este programa será elaborado à luz da nova Lei de Bases Gerais da Politica Pública de Solos, de Ordenamento do Território e de Urbanismo, e preconiza um conjunto de iniciativas de gestão activa do território.

“Este projecto inclui a requalificação dos espaços e a valorização patrimonial, a salvaguarda ambiental com acções de florestação e de qualificação, criação de percursos pedestres e de zonas de fruição pela população”, salientou Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, sublinhando ainda a “dimensão imaterial que inclui a componente de promoção deste território”.

A área de intervenção deste programa integra o Santuário do Bom Jesus do Monte e o seu Funicular, o Santuário do Sameiro, a capela de Santa Maria Madalena, o Caminho Real que liga a esta capela a Guimarães, a Citânia de Briteiros e o Castro de Sabroso.
Além de partilharem elementos de elevado valor patrimonial, Braga e Guimarães fundem-se numa só paisagem que, segundo Ricardo Rio, se apresenta como “um recurso único do ponto de vista ambiental, patrimonial, histórico, económico e turístico que é necessário potenciar no futuro”.

Na conferência de imprensa, realizada junto à Capela de Santa Maria Madalena e que contou com a presença do presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Ricardo Rio desejou ver este projecto reconhecido por parte da CCDRN e de outras entidades a nível nacional, no sentido de facilitar a identificação de linhas de financiamento.
Na ocasião, o Edil Bracarense salientou também que a elaboração deste programa foi um dos motivos que levou a acordar com a Confraria do Sameiro a instalação de um posto de turismo naquele santuário, uma medida a ser concretizada até ao final do primeiro semestre deste ano.

Já para Miguel Bandeira, vereador do Urbanismo do Município de Braga, os dois Municípios “vão protagonizar um ensaio no âmbito do planeamento do território, que se espera ver replicado noutras autarquias do país”. O programa materializa uma antiga aspiração de tratamento comum e partilhado de um lugar significativo para as populações dos dois Concelhos e, pela primeira vez no país e a este nível, uma experiência de planeamento intermunicipal.

Depois da classificação da Capela de Santa Maria Madalena, o vereador Miguel Bandeira acredita que este programa poderá ajudar a impulsionar as candidaturas do Bom Jesus a Património da Humanidade e de Guimarães a Capital Verde Europeia.